7/16/2006

Mediolistic*














Henri Matisse - Icarus - quadro VIII da série Jazz

Afinal. O que importa é a música. O jazz. O azul. Noite. As estrelas. Dançar, mesmo que se não saiba. E o coração no lugar certo. Não desfeito. Não nas mãos. Mas dentro do peito. O coração que é apenas o coração. Não uma qualquer metáfora para devaneios da cabeça. O coração que faz a sua parte. Bombear o sangue. Bater para viver o que importa. A música. O jazz. A noite. O azul. As estrelas. E as palavras.

*Al Cohn & Zoot Sims (3:29) in 'From A to Z'

4 comments:

Carlos Azevedo said...

Ai, ai, Elisa. O mundo está cada vez mais perdido, mais sem rumo. Acho que a banda sonora ideal seria mesmo uma marcha fúnebre...

Elisa said...

Ai ai Carlos
Está perdido sim senhor... mas esteve desde sempre. Qual marcha fúnebre qual quê, rapaz! Arriba.
Folgo em ver-te. :-)

maria said...

Saudades de ler-te e ouvir a música que sempre me embriaga e me deixa um gosto de quero mais...

Faz tempo que não vinha ter contigo.

Bjo.

Elisa said...

É verdade Maria... 'e tu Maria, diz-me onde andas tu?'... ao tempo que não me visitavas. Mas 'ainda bem que voltaste'.
Um beijo