7/31/2006

Light in the Morning (Many Thousand Gone)*










Salvador Dalí - Face of the War


Posso chamar-me, hoje, Hassan, ter oito anos e estar morto. Amanhã. Ou mesmo agora. Não ver já a luz da manhã. Amanhã. Ouvir, hoje, apenas os gemidos dos que morrem ao meu lado, debaixo das pedras. Posso hoje chamar-me Hassan e ser apenas uma criança. Estar morto. Agora mesmo. Ou amanhã. Quem se importa que eu tenha oito anos, me chame Hassan e amanhã já não tenha olhos para ver a luz da manhã?

* Marty Ehrlich Sextet (9:56) in 'News on the Rail '

10 comments:

quoyle said...

Dear Elisa, it's too bad what's happening, i have few words to express the sadness for the hypocrisy that our politicians are showing in this crisis.
Kisses
Fabio

Carlos Azevedo said...

Ainda há quem se importe, Elisa. Mas, de que serve? De que serve alguém importar-se, se nada pode fazer para evitar que amanhã, ou hoje, ou depois de amanhã, o Hassan, de oito anos, esteja morto?
Abraço.

Elisa said...

Ciao Fabio :-)
It is really too bad what's happening in Lebanon. I heard the discourse of the embassador of Israel at the UN, yesterday... and I feel embaressed... of being a human being who shares the same world with such a person.

kiss

Elisa said...

Eu sei Carlos que ainda há quem se importe. Mas tens razão... adianta pouco que nos importemos porque pouco, muito pouco, pode ser feito, contra esta carnificina.
Beijo

della-porther said...

Eli

Tudo bem?
Passei pra te deixar um bom fim de semana e desejar-lhe uma boa semana.
Beijos

della

Elisa said...

Olá Della
Tudo óptimo e vc?
Bom fim de semana e boa semana também para si.
Beijo

firvidas said...

Elisa,

Como você, tambem eu sinto vergonha da crueldade da humanidade. Certamente já conhece este blog, http://beirutupdate.blogspot.com/

Se não conhece ainda, penso que encontrará a Zena, uma personagem extraordinária..

xoxoxoxoxo

Elisa said...

Firvidas
Zena é uma personagem extraordinária, de facto... e como ela outras zenas e hassans. Muitos outros. Tenho vergonha sim de fazer parte desta (des)humanidade.
Beijo e obrigada

JPN said...

ainda há quem se importe. :)

Elisa said...

Eu sei Joaquim.
Bjo