10/26/2005

Resignation*













De nós, se houve nós, não há memória em nós. Mas o mais certo é o nós nunca ter sido. Um nós. Ou um de nós. Um e um. Não dois. Não nós. Apenas me lembro disto. Disseste: amo-te. Depois deste-me um murro nos dentes. E eu fiquei com cicatrizes. Com pontos. Com nós.

* Brad Mehldau (8:39) in ‘The Art of the Trio, Volume 5: Progression’ (Disco 2)

7 comments:

IO said...

É bonita, a escrita simples que nos dás, abraço, IO.

Elisa said...

Obrigada IO

Anonymous said...

Mehldau.
__
DC

Anonymous said...

Mehldau.

Elisa said...

pois. Ali ao lado está Mehldau. Mas escrevo sempre Melhdau vá-se lá saber porquê. Raios me partam.
Agradecida.

Manolo Heredia said...

Olá

Elisa said...

Olá para si também.