12/05/2005

I Put a Spell on You*













Houve um tempo em que eu era capaz de mexer na luz. Agora abro os olhos e nunca encontro nada. Há esta escuridão. Que invadiu tudo. Houve um tempo em que, mesmo sem te tocar, te desfazias na luz. Eras a ideia. A casa. A pessoa. O lugar. O nome. Para as coisas. Para a vida. Estavas nas minhas mãos. Como eu nas tuas. Abertas sempre. Houve um tempo em que acendias a luz. Só para ver se eu ainda estava lá. Confirmavas-me. Houve um tempo em que pusemos feitiços nas mãos um do outro. Depois apagámos a luz. Guardámos a magia nos bolsos. E esquecemo-nos. E eu. Há dias destes. E eu. Não sei ainda o que faço aqui. Com esta luz nas mãos. Sem as tuas.

* Nina Simone (2:38) in 'Nina Simone's Finest Hour'

6 comments:

Carlos Azevedo said...

Gosto muito de Nina Simone. Confesso que esta não é a minha preferida, mas, como quase tudo o que Nina Simone cantou, é muito boa.

Elisa said...

Viva, Carlos
A Nina é a minha cantora. Sou capaz de passar temporadas em que só a ouço a ela.
Tenho dificuldades em catalogá-la no jazz. E pensei se devia pôr aqui esta música ou não... por essa razão. Da Nina gosto de tudo o que ela canta, mas esta será uma das minhas preferidas...

Luis Olival said...

Mãos inquietas tendem a esconder-se nos bolsos.
Na alternativa gesticulam sem sentido ;)

Elisa said...

Viva, Luis
é uma ideia, colocar as mãos nos bolsos. ;)

Bruno said...

Olá Elisa

A minha relação com a Nina já dura há muito tempo. E tal como tu, Elisa, não a consigo catalogar. É enorme e ultrapassa todas as categorias, para lá de Sarah, Carmen, Ella, Lena ou Dinah, só para citar as deusas mais brilhantes deste Olimpo. Esta música por acaso não é das minhas preferidas.
Mas já que falamos de vozes, deixo-te duas (que obivamente já deves conhecer): Ella Mae Morse e June Richmond. A primeira cantava com a orquestra de Freddie Slack, a segunda com a de Andy Kirk. Ambas dos anos quarenta.
Quanto ao texto, não há palavras. Prefiro ler as tuas.

Ciao

Elisa said...

Obrigada Bruno. Pelo que dizes e pelo que deixas. Quanto a preferências... eu da Nina gosto de tudo. Escolhi esta porque me apetecia escrever o que escrevi.