1/09/2007

Ballad For The Unborn*










Irene Vincent - Thinking Woman


Só há uma posição possível: ser contra.
Não sei de quem seja favorável ao aborto. Não sei de mulher nenhuma, mesmo tendo abortado, que seja a favor do aborto.
Mas não é disso que se trata.
Trata-se de não fechar os olhos. De não esconder a cabeça nas areias sempre movediças dos 'valores'. De não negar que, mesmo sendo contra, muitas mulheres têm de optar pelo aborto. Por tantas razões quantas as mulheres que abortam. Com tanta consciência como a dos auto-denominados defensores da vida (sim, os mesmos que continuam a ignorar as muitas mulheres que morrem em consequência de um aborto feito em más condições. Como se a vida delas não fosse defensável).
Trata-se de recusar a anestesia geral a que nos votamos todos. E a hipocrisia. De recusar que as mulheres que abortam continuem a ser consideradas criminosas. Pecadoras. Culpadas. Menos humanas. E é disso que se trata. Desta recusa. Por isso. Sim. Para mim, só este voto é possível.


*Esbjorn Svensson Trio (5:32) in ‘Seven Days of Falling’

2 comments:

Nan said...

Absolutamente. Tudo isso.

E que este país tenha sorte no resultado deste referendo, porque não se trata só duma questão feminina mas do avanço dele próprio nos seus valores.


Beijo

Elisa said...

Nem mais Nan. Nem mais.
Beijo