5/17/2007

Clues*















Anselm Kiefer - Eridanus

Isto é uma não resposta. Que eu não estou para ser provocada**. Tudo desconheço sobre essa arte aparentemente fácil, mas verdadeiramente difícil, de sair de si e deixar aos outros qualquer coisa. Deixamos vestígios. Aqui e ali. Espalhados para que alguém os agarre e os tome como seus. Um dos meus, bem podia ser este (mas provavelmente são outros quaisquer): o que é preciso é dar lugar aos pássaros nas ruas da cidade (Ruy Belo).

E se é para passar adiante, passo, comme d'habitude ao Luís d' A Natureza do Mal, à Sandra do Tubo de Ensaio, ao Henrique do Insónia e gostava de ver que vestígios é que acha que pode já deixar um miúdo de 22 anos e por isso passo também ao Paulo do Paraíso na Outra Esquina.

* Patricia Barber (4:58) in 'Verse'

** Um "meme" é um " gene cultural" que envolve algum conhecimento que passas a outros contemporâneos ou a teus descendentes. Os memes podem ser ideias ou partes de ideias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autónoma"

14 comments:

Fuser said...

Elisa

Venha ouvir o Encontro da Terra Brasilis.

beijos

fuser

Elisa said...

Mas tu não páras, mulher. :) Já fui e voltarei.
Beijo

Salsa said...

Entre os gregos havia a maldição que passava de geração em geração (em função de um pecado qualquer contra a ordem divina olímpica). Qual é a sua maldição? (dizem que, pior de tudo, a gente nunca consegue desvendá-la - e saímos por aí a chutar cães sarnentos e pedras que nos esfolam os dedos)

Elisa said...

Hum... Salsa, a minha maldição? Pois... não sei, claro... mas assim de repente parece-me que é a minha infinita crença nos seres humanos, meus semelhantes... é simultaneamente uma maldição e uma benção.

Kanoff said...

Lindo...

Elisa said...

Obrigada :)

Salsa said...

Como dizem os espanhóis (?): Eu não creio em bruxas, mas que existem, existem. É uma questão lógica. A infinita crença, contanto que não idealizada (aceitar as pessoas com suas idiossincrasias) é necessária. Mas, acima de tudo, as pessoas existem, podes acreditar.

Elisa said...

sim, existem... sem qualquer dúvida... aliás, onde estava a dúvida?

pAulo said...

Será que eu tenho um "meme"? Não sei.
Mas pelo menos, sei o que gostaria de ter, como "meme" pessoal.

Já respondi. No local "ideal": no Paraíso! :)

Abraço!

Elisa said...

Tens vários memes Paulo... como qualquer outra pessoa, acho eu. Mas viste? Ambos escolhemos a liberdade, à nossa maneira.
Beijinho

Salsa said...

A questão é: você acredita na existência dos seres humanos (inquestionável) ou você "espera" alguma coisa dos seres humanos (mais problemático)? A esperança, (creio que estou citando Fernando Pessoa, confira - talvez Nietzsche)é uma desgraça.

Elisa said...

Ora Salsa
parece-me óbvio pelo modo como eu caracterizei a minha maldição (como simultaneamente uma benção) que se trata do 2º casa... as expectativas e a esperança. Quanto ao 1º caso nem estava em dúvida, como vc disse é inquestionável. A esperança (ou as expectativas) não é (ou são) uma desgraça. A interacção humana, a sociedade, não existiriam sem ela(s)

Salsa said...

...ou existiria de um outro modo...quem sabe, melhor?

Elisa said...

hum?? Bom... isso já acho difícil... existir de outro modo a sociedade... mas quem sabe?